18.4.13

Cara de Puta


Não sei se tenho cara, jeito de andar ou falar. Não sei se é o perfume, meu olhar, ou minha cara de brava... Maneira de me comportar não é. Minhas roupas também não são. Não sei! Mas devo ter cara de puta...

Hoje, como em outras circunstâncias, eu estava conversando com um senhor de uns cinquenta e poucos anos – que eu já tinha conversado uma vez –, sobre emprego. Papo vai, papo vem, ele me pergunta se ainda estou namorando. Eu, rapidamente digo sim e que estou muito feliz (eu não tenho namorado), pois já sabia que papo seguiria o rumo da conversa. Então começa:

- Ele te ajuda em alguma coisa?
- Como assim?
- Ele te ajuda pagando suas contas?
- Não, eu mesmo pago minhas contas, porque ele pagaria?
- Ah, uma mulher assim como você tem que ter alguém que ajuda financeiramente.

Eu, com risinhos “rã rã rã” (aqueles com cara de quem diz: como você é idiota – sem deixar perceber que ele é um idiota), perguntei se ele paga pra mulher dele continuar casada com ele. Depois falou todas as letras: Vamos sair, eu te ajudo com o que você precisar...

Eu não podia responder com grosseria porque este homem é, vamos dizer, influente e conhecido, mas minha vontade foi de dizer: Toma vergonha na sua cara, nem dente você tem! E meu namorado não precisa me pagar pra viver comigo, pois além dele ter dente, ele tem cabelo, é cheiroso e não tem pança de elefante!

Pois é, não é a primeira vez que isso acontece. Dependendo da pessoa eu levo na esportiva, outras já respondo com palavras que dói a alma (porque sou má), pra nunca mais me fazer propostas nojentas.

Há alguns anos atrás eu trabalhava com um senhor de 63 anos, não demorou muito e começou esse tipo de proposta. E eu, já de “saco cheio” das indiretas, entrei no jogo por vingança (calma, não sai com o dito cujo)...

Comecei a aceitar café da padaria, deixei pagar almoço, chocolates a tarde... Não deu três dias comecei a pegar 10 reais de manhã, mais o café, 20 reais de tarde, 50, 100 nos fins de semana... Só no papo: Vamos sair sábado à noite! E esse sábado nunca chegava, pois um sábado eu estava com dor de cabeça, no outro sábado eu estava gripada, no outro a tia morreu, no outro choveu... Assim durou uns três meses, até ele ter a certeza que eu só queria o dinheiro dele. Rs.

Essa historia rendeu muitos risos para nós da empresa, até o patrão sabia e só o tontão achava que estava podendo... hahaha. Quando ele se deu conta que estava fazendo papel de palhaço parou de falar comigo. E eu lamentei por perder o extra... Rá!


Tem outras historinhas, mas sem contato físico. Capiche?


Só pra constar: Eu já sai com homem 
de 50 anos, mas ele era bonito e 
charmoso. Já namorei homens com
renda alta, mas nunca aceitei nada. 
E já namorei com um pintor, e eu o 
amava muito, mesmo dividindo 
o custo do motel... ;)


Bjo bjo ♥ 

9 comentários:

✿ chica disse...

Dá um nojo desses homens, novos ou velhos, tarados assim. Não podem ver nenhuma mulher e grudam. E assim passam os dias à cata de moscas tontas que caiam na lábia! beijos,chica

Tetê - Sem Neuras disse...

Tem cara que se acha, né? E fazem papel ridículo e merecem cair nas teias de mulheres que os explore bastante! Eu tive uma fase que atraía homem casado! Que situação... Sei lá o que é isso! Bjks e bom final de semana! Tetê

Priscila Rodrigues disse...

Chica: Tem que achar o corpo no lixo pra se entregar pra um homem nojento e sujo, mesmo que tenha dinheiro. Pois nem puta de classe aceita.. hahaha

Tetê: Eles sabem que só conseguem mulher por dinheiro, as mais podres, e ainda assim se acham... haha

Bjo, meninas ;)

guh disse...

Oi delícia

guh disse...

Oi delícia

guh disse...

Oi delícia

guh disse...

Oi delícia

Vinicius Fernandes disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Vinicius Fernandes disse...

Vc e gostosa